Poemas de Jaques Demarcq

Jacques Demarcq. Divulgação

Jacques Demarcq. Divulgação

Nascido em Compiègne (Picardia, França) sob os fogos da Grande Guerra, Jacques Demarcq faz parte de uma geração de poetas que foram submetidos à mudança histórica mais drástica dos últimos séculos. Dado isto, a literatura sempre lhe foi desde cedo refúgio – e, ao mesmo tempo, ponte que o interliga à infância áspera e às feridas abertas. Mais tarde, exerceria diferentes profissões, entre as quais jornalista, ator, crítico de arte e professor de design. Esse itinerário variado fez da sua poética o que ela é desde então: um leque vasto de experiências sensitivas e sinestésicas, envolvendo simultaneamente diferentes canais de percepção. Não é à toa que seus maiores heróis – homenageados por poemas seus – são da estirpe de El Lissitzky, Alexander Calder, Paul Klee e sobretudo E. E. Cummings, cuja obra integral Demarcq dedicou-se a estudar e traduzir – trabalho esse que se tornou referência em língua francesa. Sua obra mais conhecida são Les Zozios (Os passarinhos, sem tradução em português), na qual a tentativa de reproduzir o canto dos pássaros em língua humana é um dos eixos estéticos norteadores.

Clique nos poemas visuais (em francês) para ampliar. Tradução de Artur de Ataíde e Márcio de Oliveira.

Artur_Ataíde_e_Márcio_de_Oliveira_-_o_poema_péret (1)-page-001 (1)

Pe¦üret

Klee_Page_1

Klee_Page_2

Nazca_Page_1

Nazca_Page_2 Nazca_Page_3

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: